Edição nº 1117 18.04 Ver ediçõs anteriores

33 mil hectares conservados

A Coalizão Cidades pela Água, iniciativa liderada pela The Nature Conservancy (TNC) em parceria com a Cervejaria Ambev, promove ações de conservação de nascentes e rios em áreas críticas para a produção e conservação de água. Em 2018, o projeto bateu a marca de 33 mil hectares de áreas conservadas e restauradas em seis regiões metropolitanas do Brasil, que contribuem para a segurança hídrica de 100 municípios. No total, 3.577 famílias foram beneficiadas nas áreas do Sistema Cantareira e Alto Tietê, em São Paulo; bacias hidrográficas do Pipiripau e Descoberto, localizadas no Distrito Federal; do Rio Guandu e de Paraíba do Sul, que ficam no Rio de Janeiro; além do Espírito Santo. Desde o lançamento do projeto, em 2015, a Coalizão captou cerca de R$ 26,3 milhões entre empresas apoiadoras e instituições parceiras.

(Nota publicada na Edição 1105 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Repasse solidário

Ao ter um filho diagnosticado com síndrome de down, o casal Marina e Henri Zylberstajn resolveu fazer algo que apoiasse iniciativas de [...]

Fundo Brasil e Instituto C&A premiam projetos de defesa dos direitos humanos na indústria da moda

Em pleno século XXI, a exploração do trabalho infantil ainda é um dos grandes problemas de direitos humanos existentes no Brasil. [...]

Perigo na torneira

A água das torneiras das principais capitais e de muitas outras cidades brasileiras está cheia de agrotóxicos. Pelo menos uma em cada [...]

Presidente do ICMBio se demite

Em um evento para o público ruralista realizado no Rio Grande do Sul, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ficou zangado porque [...]

O desenvolvimento sustentável do fast food

A noite do dia 30 de março se tornou um evento à parte na atribulada rotina dos funcionários do McDonald’s no Brasil. Nessa data, das [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.