Negócios

Parceria com sorriso largo

Duas das maiores companhias do setor, OdontoCompany e Amil Dental anunciam projeto conjunto que promete movimentar o aquecido mercado de planos odontológicos.

Crédito: Istock

O mercado de planos odontológicos no Brasil deu um salto importante no último ano. Foram 2,2 milhões de beneficiários a mais, de março de 2021 a março deste ano, aumento de 8,2%, totalizando 29,2 milhões de contratos, segundo dados da Agência Nacional de Saúde (ANS). A média desde 2012 foi de 1,1 milhão de novos segurados por ano. Dois principais fatores explicam o dobro da procura. Em primeiro lugar, as empresas acentuaram a oferta de planos para reter ou atrair colaboradores. Em segundo, surgiram canais de vendas alternativos, como bancos digitais que colocaram esse serviço em seu portfólio. Agora, na esteira desse crescimento, surge uma parceria inédita no setor que promete alavancar ainda mais os convênios e os atendimentos odontológicos. OdontoCompany, maior rede de consultórios do Brasil, e a Amil Dental, quarta no ranking das operadoras brasileiras, unem suas forças.

A informação foi obtida com exclusividade pela DINHEIRO. “Conseguimos reter clientes e crescer em regiões fora das capitais”, disse Rodrigo Rocha, CEO da Amil Dental. “A OdontoCompany ganha com os atendimentos feitos. E o cliente tem as portas abertas para usar mais dentistas e mais serviços.” Paulo Zahr, fundador e presidente da OdontoCompany, afirmou que a parceria terá um impacto significativo ao facilitar o acesso dos pacientes. “Nos nossos mais de 30 anos de mercado, sempre estivemos preparados para somar em boas iniciativas como essa.”

Foram três meses de conversas para delinear o modelo da parceria, que não acarreta em exclusividade de nenhuma das partes. E não envolverá grande monta de recursos financeiros. As operações continuam separadas. O plano prevê investimento de R$ 5 milhões para desenvolvimento de um software de gestão que vai integrar os sistemas das duas empresas para que os parâmetros legais que regem a atuação delas. A expectativa é de que os usuários da Amil Dental tenham acesso aos serviços da OdontoCompany entre o fim de julho e o começo de agosto. Neste momento ocorrem rollout para integração do atendimento, informações, treinamento e motivação dos colaboradores.

A OdontoCompany colocará à disposição dos beneficiários da Amil Dental suas cerca de 2 mil clínicas e outras 500 da Oral Sin, maior rede de implantes do País, adquirida pelo grupo no início de 2021. São 8 mil dentistas. O faturamento no ano passado foi de R$ 2,2 bilhões. Com a parceria e o planejamento de expansão, que prevê 400 novas clínicas neste ano e o total de 3,6 mil até 2023, a expectativa é bater receita na casa dos R$ 3 bilhões em 2022, sendo de 5% a 6% desse montante resultante da união com a Amil Dental. Dos 2,2 milhões de contratantes da Amil, cerca de 350 mil (16%) devem usar a rede OdontoCompany até dezembro. “Em média, são 140 pessoas a mais por unidade ao longo de cinco meses. Absorveremos bem”, afirmou Zahr.

Já pelas bandas da Amil Dental, a rede credenciada de 13 mil dentistas e as cinco clínicas próprias continuam a servir seus beneficiários, que agora passam a ter também os serviços multidisciplinares da OdontoCompany. Em um mesmo endereço é possível passar por clínica geral, implantodontia, ortodontia, prótese, odontopediatria, periodontia, endodontia e estética. Além disso, a capilaridade, com unidades que estão fora das grandes capitais, principalmente do Sudeste, onde está a maioria dos dentistas, é outro atrativo para novos contratantes à Amil Dental, avalia Rodrigo Rocha. “Queremos dar acesso aos clientes. Nas nossas estatísticas, o produto odontológico é pouco conhecido. Mas, entre os que usam, alcançamos altos indíces de retenção e a satisfação.”

Em 2021, a empresa contabilizou 1,4 milhão de consultas e 10,1 milhões de procedimentos. No 1º trimestre deste ano foram realizadas mais de 318 mil consultas e de 2,2 milhões de procedimentos. “Vamos aumentar esses números com a parceria”, disse Rocha. Para colocar um sorriso largo no rosto dos pacientes e dos executivos, que vão ver subir as cifras de seus negócios.