100 milhões de árvores em 5 anos

O aquecimento global tem exigido que as empresas reduzam emissões, aumentem a eficiência energética e mantenham métodos de produção sustentáveis. É o míninmo a se fazer, mas não é tudo. A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta que até 2100 o planeta pode estar de 3 a 5 graus Celsius mais quente do que estava antes do processo de industrialização. Com apoio de outros seis parceiros, a Mastercard lançou na sexta-feira 17 a coalizão Planeta Priceless que se compromete a plantar 100 milhões de árvores no prazo de cinco anos em todo o mundo. Para isso, será usada a própria estrutura de pagamento global da Mastercard para se obter contribuições por meio de estratégias como campanhas de arredondamento em vários varejistas. Para liderar os esforços de plantio de árvores, foram selecionadas as organizações ambientais globais Conservation International e World Resources Institute (WRI).

(Nota publicada na edição 1155 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Cerveja com menos impacto ambiental

Pesquisa realizada pela Union+Webster indica que 87% dos brasileiros preferem comprar produtos e serviços de empresas sustentáveis. De [...]

A culpa não é só das chuvas

O caos gerado pelas chuvas nas grandes cidades brasileiras, como as que deixaram debaixo d’água Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São [...]

Fundo para energia fotovoltaica

A Empírica Investimentos lançou um fundo em direitos creditórios (FIDC) voltado para o mercado de energia solar do Brasil. Em parceria [...]

Meta traçada até 2031

A Fujifilm Holdings Corporation entrou para a lista de organizações da Lista A de Mudanças Climáticas, da CDP, organização sem fins [...]

Honda aproveita a força dos ventos

Não basta que um veículo automotor funcione de forma sustentável. É importante que sua fabricação também seja. Esse é o caminho adotado [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.