Edição nº 1031 11.08 Ver ediçõs anteriores

Zuckerberg, o construtor

Zuckerberg, o construtor

O Facebook vai construir 1.500 casas no Vale do Silício, região que abriga as principais empresas de tecnologia dos Estados Unidos. O plano é facilitar a vida dos trabalhadores que hoje arcam com aluguéis caríssimos ou que sofrem diariamente no trânsito durante o trajeto até a vizinhança da baía de São Francisco. Para se ter ideia, o aluguel mensal triplicou desde 2011. Hoje, fica na média de US$ 3.350 ao mês. Já o preço para a compra subiu 66% entre 2012 e 2016. Uma residência de dois quartos, por exemplo, custa cerca de US$ 890 mil. Se engana, porém, quem pensa que Mark Zuckerberg vai parar por aí. De acordo com o vice-presidente de Instalações Globais do Facebook, John Tenanes, o objetivo “é criar um bairro que forneça os serviços comunitários necessários”. A construção deve levar dois anos. Quando isso acontecer, as casas estarão à disposição de qualquer pessoa, e não apenas de seus funcionários.

(Nota publicada na Edição 1027 da Revista Dinheiro)

Mais posts

O polêmico manifesto de um funcionário do Google

Um manifesto escrito por um funcionário do Google está causando polêmica na empresa. O autor, o engenheiro sênior James Damore, condena [...]

Robô desastrado

A Boston Dynamics ganhou fama na internet ao divulgar vídeos de seus robôs correndo, pulando e até realizando acrobacias e movimentos [...]

Substituição de super-heróis na Netflix

A compra da Millarworld pela Netflix, na semana passada, veio em boa hora. A editora de quadrinhos adquirida criou histórias que [...]

Carrinho cheio

Brasileiros que já fizeram pelo menos uma compra online na vida revelam o que querem para comprar mais em sites de comércio eletrônico: [...]

No banco dos réus

Acostumada a figurar nas seções de tecnologia e negócios dos principais sites e revistas do mundo, a Samsung virou, mais uma vez, [...]
Ver mais