Edição nº 1032 18.08 Ver ediçõs anteriores

Resposta instantânea com Sebastián Siseles, diretor internacional do portal Freelancer.com

Resposta instantânea com Sebastián Siseles, diretor internacional do portal Freelancer.com

A taxa de desemprego no Brasil bate recordes de alta. Como a tecnologia pode colaborar nesse momento?
A tecnologia pode ter um papel protagonista para reduzir as taxas de desemprego, não só no Brasil, mas em todo o mundo, por meio do trabalho freelance. Existe uma grande quantidade de profissionais altamente capacitados, que não conseguem um emprego tradicional devido às crises locais. No entanto, eles podem trabalhar para empregadores do mundo todo.

Plataformas como a Freelancer são criticadas pela baixa remuneração dos colaboradores.
É apenas um “preconceito” de que existe uma desvalorização de tarifas devido à alta competição. Mas a realidade é que, como em qualquer outro mercado, os empregadores vão procurar um equilíbrio perfeito entre preço e qualidade.

Qual a perspectiva de crescimento da empresa no Brasil?
No ano passado, adquirimos a brasileira Prolancer, que nos ajuda a reforçar nossa liderança em nível local e regional. Nosso objetivo é adequar a operação à maneira de trabalho dos brasileiros. Com a Prolancer, nós não só incorporamos os milhares de usuários brasileiros, mas também métodos de pagamento e conhecimento de mercado.

(Nota publicada na Edição 1013 da revista Dinheiro)

Mais posts

O novo voo dos pássaros furiosos

Desenvolvedora do famoso jogo de smartphones Angry Birds, a Rovio Entertainment está próxima de se tornar pública. Segundo informações [...]

iPhone mais americano

Principal parceira da Apple na produção do iPhone, a taiwanesa Foxconn pode passar a produzir as telas dos próximos smartphones da [...]

O Facebook está de olho nos vídeos

A mais nova investida de Mark Zuckerberg promete estremecer ainda mais as relações entre Facebook e Google. Lançada no dia 9, a [...]

Corrida livre

(Nota publicada na Edição 1032 da revista Dinheiro)

US$ 16 bilhões

Ao ano é o gasto das empresas de tecnologia para substituírem funcionários por conta de demissões relacionadas com bullying, racismo e sexismo (Fonte: Kapor Center for Social Impact) (Nota publicada na Edição 1032 da revista Dinheiro)

Ver mais