Edição nº 1037 22.09 Ver ediçõs anteriores

Os tablets não param de encolher (e não é de tamanho)

Os tablets não param de encolher (e não é de tamanho)

Quando o iPad, da Apple, foi lançado, em 2010, muitos analistas acreditaram que o equipamento criado por Steve Jobs, morto em 2011, poderia revitalizar o mercado de computadores. Nos primeiros anos, as vendas explodiram. Agora, eles enfrentam um ocaso no mundo e no Brasil.

Segundo dados da consultoria IDC, foram vendidos quatro milhões de tablets, no Brasil, em 2016, uma diminuição de 32%. É o segundo ano consecutivo de queda. Os smartphones de telas grandes estão substituindo iPads e similares na preferência dos consumidores.

(Nota publicada na Edição 1010 da Revista Dinheiro)

Mais posts

A aposta do Google

O Google anunciou, na quarta-feira 20, que comprou parte da empresa da fabricante de smartphones HTC por US$ 1,1 bilhão. Com o negócio, [...]

Maçã frágil

É melhor tomar bastante cuidado para não deixar o seu iPhone cair no chão. A Apple aumentou em R$ 100 o preço cobrado pela troca das [...]

US$ 15,8 bilhões

Serão movimentados pelo mercado de sistemas de inteligência artificial em 2021 Fonte: Tractica, empresa americana de inteligência de mercado (Nota publicada na Edição 1037 da Revista Dinheiro)

A queda dos tablets

(Nota publicada na Edição 1037 da Revista Dinheiro)

Chips desejados

A Toshiba acertou a venda de sua unidade de chips de memória por US$ 18 bilhões. O comprador será um grupo de empresas liderado pelo [...]
Ver mais