Edição nº 1015 20.04 Ver ediçõs anteriores

O gol de Pato nos Estados Unidos

O atacante Alexandre Pato está jogando na China, mas de olho nos Estados Unidos. Não, ele não recebeu nenhuma proposta para atuar na Major League Soccer (MLS). A sua ambição vai além. O jogador de futebol comprou uma participação de 10% no Soccer One, um aplicativo desenvolvido no Canadá pelo publicitário brasileiro Ricardo Sodré, que tem o objetivo de ensinar futebol aos americanos. “É como uma escola de futebol, que reproduz 50 movimentos, como chutes e passes, e também prepara treinos físicos para cada usuário por meio de algorítimos”, diz Sodré.

Chamariz para os americanos

Além de Pato e Sodré, o Soccer One conta com os sócios Paulo Barone, da clínica esportiva SportsLab, e Rogério Neves, ex-fisiologista da seleção brasileira de futebol. A meta é atingir, principalmente, os 3,8 milhões de praticantes federados americanos com idades entre 12 a 24 anos. “Já estamos fechando uma parceria com a federação de Iwoa”, diz Sodré. “O futebol tem crescido muito nos Estados Unidos e tem muito praticante que precisa de orientação.” Um dos chamarizes do projeto é ser elaborado por brasileiros.

Tecnologia na ponta do pé

Para cair no gosto dos gringos, o aplicativo é dotado da mais alta tecnologia. Seis jogadores profissionais brasileiros – três homens e três mulheres – foram até o Canadá e simularam, por dois dias, todas as jogadas em estúdio. Daí, surgiram os avatares que se destacam no app. “A tecnologia é similar a usada em videogames como o Fifa”, diz Sodré. Mas, afinal, como ganhar dinheiro com isso se o aplicativo é gratuito? O executivo pretende vender os espaços publicitários nas camisas dos avatares e também nas placas virtuais dos estádios. “Pretendemos faturar US$ 35 milhões no quarto ano de operação”, afirma Sodré.

(Nota publicada na Edição 1015 da revista Dinheiro)

Mais posts

Sinal verde

A briga entre a Simba, joint-venture criada pelas emissoras de televisão SBT, Record e RedeTV, e as operadoras de TV paga está próxima [...]

“Se a lei de abuso de autoridade estivesse em vigência, teria sido impossível ver o Sérgio Cabral na cadeia”

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) é quase uma voz solitária em meio a um Senado recheado de investigados pela Operação Lava Jato. [...]

Frase da semana: Michel Temer

“Não podemos nos acoelhar, mostrar que estamos em uma posição delicada” Presidente Michel Temer sobre a falta de prestígio da classe [...]

Ele está de saída

Quando chegou ao Brasil, em 2009, a Azimut, uma das cinco maiores gestoras de recursos da Europa, com R$ 140 bilhões em ativos sob sua [...]

A fórmula tropical da NSK

A operação brasileira da fabricante de rolamentos NSK, centenária empresa japonesa com receita global de US$ 9 bilhões no ano passado, [...]
Ver mais

Recomendadas