Edição nº 1019 19.05 Ver ediçõs anteriores

Estudo exclusivo mostra a força de João Doria nas redes sociais

É inegável a influência que o prefeito de São Paulo, João Doria Junior, tem nas principais redes sociais. Diariamente, ele posta vídeos explicando seus programas de governo ou mostrando o que está fazendo. Mas, além da percepção, qual é a sua força no Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e Google+? A pedido da coluna, a Bites, empresa que faz análise de dados no universo digital, preparou uma pesquisa comparando Doria com os prefeitos de todas as outras capitais brasileiras.

O prefeito de São Paulo ganha de lavada de todos os seus pares em qualquer quesito. Mais: virou modelo a ser seguido quando o assunto é o domínio das ferramentas digitais. “Ele sabe lidar com as redes sociais como nenhum outro”, diz Manoel Fernandes, diretor da Bites. “Ele responde cada comentário feito nas suas páginas.” Evidentemente, Doria mantém uma equipe dedicada a esse trabalho, mas ele sabe a importância de cada atualização em sua página.

Fernandes cita as 24 horas em que Doria viajou para Seul, capital da Coreia do Sul, como exemplo. “Ele postou um vídeo no aeroporto de Guarulhos, quando estava embarcando; depois postou um vídeo com o que iria apresentar para os coreanos; em seguida, outro vídeo quando aterrissou em Dubai para fazer a conexão e, logo depois, mais uma gravação ao chegar em Seul”, diz Fernandes. Em apenas um dia, os quatro posts tinham alcançado 1,1 milhão de visualizações.

Comparando com o Ibope de uma emissora de televisão aberta, é como se ele tivesse alcançado mais de 5 pontos percentuais na Grande São Paulo. Atrás de Doria, vêm o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto. “Os seguidores de Crivella vêm mais de sua ligação com a Igreja Universal. Os de Doria, hoje apontado como forte candidato à presidência, são do Brasil inteiro.” Acompanhe, a seguir, os principais dados do estudo:

DIN1014-moeda4

(Nota publicada na Edição 1014 da revista Dinheiro, com colaboração de: Hugo Cilo e Márcio Kroehn)

Mais posts

“As reformas virão, mas serão adiadas”

Depois do discurso do presidente Michel Temer, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) não economizou nas críticas, dizendo que “Temer [...]

Pintou crescimento

O mercado de construção foi um dos mais afetados pela crise econômica dos últimos anos, arrastando a cadeia de material de construção. [...]

O jogo ficou mais difícil

A análise do senador Álvaro Dias sobre o cenário político para as eleições em 2018 é a de que o jogo ficará muito mais difícil para as [...]

Frase da semana

“Tô de bem com o Eduardo. Eu tô segurando as pontas com ele” Joesley Batista, CEO da J&F, para o presidente Michel Temer, sobre [...]

Mea culpa

Em evento fechado para investidores e empresários, promovido pela Consulting House, em São Paulo, o ministro de Minas e Energia, [...]
Ver mais