Edição nº 1011 24.03 Ver ediçõs anteriores

Novos ventos no radar?

Novos ventos no radar?

No Brasil, é comum o empresário ter de se virar para entregar o que prometeu, mesmo que a infraestrutura não permita. Foi o que aconteceu com a Casa dos Ventos, empresa que desenvolve e constrói parques eólicos no Nordeste. Diante da falta de linhas de transmissão para fazer a energia gerada chegar até as distribuidoras – um problema crítico do setor –, a companhia construiu suas próprias linhas de transmissão. “Hoje, temos conhecimento para isso”, diz Lucas Araripe, diretor de novos negócios da Casa dos Ventos. “E podemos entrar nessa área.”

Empreendedor em série

Mario Araripe

Lucas Araripe, diretor de novos negócios da Casa dos Ventos

Criada em 2007 pelo empresário Mario Araripe, o mesmo que vendeu a marca de jipes Troller para a Ford, em 2006, por R$ 700 milhões, a Casa dos Ventos tem um portfólio de respeito. Desde 2015, inaugurou cinco parques eólicos capazes de gerar 1,1 mil MW. “O investimento total em todos os projetos gira ao redor de R$ 6,5 bilhões”, diz Lucas Araripe. Dois complexos já foram vendidos por R$ 2 bilhões para a inglesa Cubico Sustainable Investments e novos podem ser comercializados. Detalhe: a empresa tem mapeadas e aprovadas áreas capazes de gerar mais 15 mil MW.

(Nota publicada na Edição 1005 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Carlos Eduardo Valim)

Mais posts

A saída da Longchamp

A grife francesa Longchamp está saindo do Brasil. E não se trata apenas da crise. Quem conhece o mercado atesta sem sombra de dúvida: [...]

O novo investimento da Barilla

A marca italiana Barilla está investindo na importação de um novo produto para o mercado brasileiro: os tradicionais biscoitos Mulino [...]

Como a Visa está se transformando em uma empresa de tecnologia

Desde agosto do ano passado, quando assumiu a presidência da Visa no Brasil, o executivo Fernando Teles passou a trabalhar [...]

Charge: carne forte

(Nota publicada na Edição 1011 da revista Dinheiro, com colaboração de: Márcio Kroehn)

Rouba monte

A crise econômica tem feito as grandes gestoras especializadas em administrar fortunas familiares (wealth management) se estapearem pelo dinheiro disponível no mercado. “Virou um trabalho de rouba monte”, diz um conhecido gestor, ao explicar o nível em que chegou a competição entre as empresas do setor. (Nota publicada na Edição 1011 da revista Dinheiro, com […]

Ver mais

Recomendadas

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.