Negócios

Máquina de Vendas será apenas Ricardo Eletro

A Máquina de Vendas, terceira maior varejista de móveis e eletroeletrônicos do País, começa a unificar, a partir de março, as bandeiras do grupo, apurou o jornal O Estado de S. Paulo. A marca Ricardo Eletro vai substituir, gradualmente, todas as outras: Insinuante, City Lar, Eletro Shopping e Salfer. Antes da unificação total, prevista para ocorrer nos próximos meses, a marca Ricardo Eletro virá acompanhada das outras.

Em reestruturação, o grupo fez no ano passado um estudo de reposicionamento de marca. “Chegou-se à conclusão de que a bandeira Ricardo Eletro é a mais forte do grupo. Embora as outras tenham apelo regional forte, a Ricardo Eletro é a que tem maior força no mercado nacional”, disse uma fonte a par do assunto, lembrando que essa unificação pode reduzir custos do grupo e aumentar poder de negociação com fornecedor.

Resultado da fusão das redes Insinuante e da Ricardo Eletro, em março de 2010, a Máquina de Vendas cresceu com a aquisição de participações nas redes City Lar, Eletro Shopping e Salfer, mas não conseguiu realizar o processo de integração das bandeiras e tem passado por dificuldades financeiras. Em 2014, registrou vendas líquidas de R$ 7,9 bilhões.

No início deste ano, o empresário Ricardo Nunes, um dos principais acionistas da companhia, voltou a assumir a presidência executiva do grupo. Ele tinha se afastado do dia a dia dos negócios e tinha passado o bastão para o executivo Enéas Pestana, dono de uma consultoria com seu nome, e que esteve à frente da varejista até janeiro.

Há pelo menos três anos, a Máquina de Vendas estava à procura de um sócio. O BTG tinha sido contratado pelo grupo para atrair um parceiro, mas o acordo não foi adiante.

Procurada, a Máquina de Vendas não comenta o assunto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.