5 soluções tecnológicas para 5 grandes problemas do Brasil

21/08/2012

Compartilhe:

Imprimir:

Michell_Zappa.jpg

O sueco Michell Zappa é especializado em tecnologias emergentes e morou 20 anos no Brasil

 

Michell Zappa, diretor da consultoria de tendências tecnológicas Environing Technology, abriu a conferência The Next Web nesta quarta-feira (22), em São Paulo, de modo otimista, para dizer o mínimo. Em sua palestra, apontou soluções tecnológicas que podem resolver os congestionamentos, a saúde, a habitação, os juros e, pasmem, a corrupção do Brasil. Confira um resumo das principais ideias desse futurologista sueco que viveu 20 anos no País e fala português fluentemente:

Trânsito: Zappa acredita que carros sem motoristas, no longo prazo, podem resolver os aborrecimentos com o tráfego. O Google faz testes nos EUA com um carro dotado dessa tecnologia. Mas, antes desse  veículo, Zappa apontou espécie de carros-trem que  ajudam a aliviar o stress. Essa tecnologia faria com  que os automóveis andassem em comboio, sem a necessidade de motorista. Para itinerários comuns, como viagens intermunicipais, isso ajudaria a evitar acidentes de trânsito. Outra tecnologia vista pelo consultor como revolucionária nessa área são os smartphones, que atuariam como a chave de ignição dos veículos e já são capazes e apontar os melhores caminhos. Zappa não fez menção a soluções com transporte público.

Saúde: No seriado original de Star Trek, dos anos 1960, os tripulantes da nave interestelar Enterprise eram capazes de diagnosticar doenças apenas apontando o tricorder, uma espécie de celular, para o paciente. Pois essa tecnologia já está sendo desenvolvida por  empresas como a Qualcomm (conhecida por fazer chips de celulares) e, em poucos anos, será capaz de fazer diagnósticos básicos. Zappa também prevê a fabricação de medicamentos de forma rápida e na medida do paciente, em uma tecnologia similar à das impressoras 3D para cápsulas e pílulas. "Os médicos poderão se concentrar em outras tarefas", afirma Zappa. A ideia do consultor é otimista, mas não levou em conta que, no Brasil, os profissionais da saúde são ciosos dos chamados atos médicos e dificilmente abrem mão de fazer tarefas básicas - vide o tema da proibição das tradicionais parteiras domésticas, que sofre forte lobby da classe médica.

Juros: Apesar de a Selic estar em seu menor patamar histórico, é fato que o dinheiro no Brasil custa caro em comparação a outros países. Zappa prop?e como solução para isso o crowd lending (empréstimo de multidão), com vários contribuintes pagando pequenas somas, o que diminui consideravelmente o risco de um calote levar alguém ou alguma instituição à bancarrota. Para completar esse sistema, é preciso de ferramentas para analisar se o tomador do empréstimo é confiável. "Tecnologias de ferramentas, como o Klout, podem ajudar nessa tarefa", diz Zappa, citando um popular recurso que mensura a influência dos usuários das redes sociais.

Habitação: Impressoras 3D gigantescas poderiam fazer bairros inteiros em horas - e a custos reduzidos. E mais: as casas não pareceriam todas iguais. Graças ao conceito de Parametric Design, computadores podem adaptar desenhos do gosto do cliente com a ergonomia necessária para aquela função. Um sujeito que aprecie formas circulares poderá ter uma porta assim desenhada pelo computador, que não vai esquecer da fechadura, por exemplo. "Isso não resolve o problema da pobreza", disse Zappa, exibindo a imagem de uma favela em uma projeção.

Corrupção: Zappa apontou ferramentas que abrem e organizam dados  sobre os políticos como um passo importante para  combater as falcatruas dos governantes. Isso, claro, sem esquecer da navegação amigável, para os usuários usarem esses recursos de modo fácil. Ficha Limpa, contas abertas são algumas das iniciativas que já existem nesse sentido.

Não bastasse isso, Zappa ainda diz que a maioria dessas soluções estará disponível em cinco anos. Para não passar por louco diante da plateia deu o exemplo do YouTube. "Há cinco anos, ninguém imaginava que publicar e ver vídeos na internet seria tão fácil e popular", disse.

O The Next Web é um ciclo de palestras itinerante, conhecido por sua fórmula de privilegiar o networking. É a primeira vez que o evento acontece fora da Europa.
 

 

 

Avalie esta notícia:  starstarstarstarstar

Compartilhe:

Imprimir:

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)