Finanças

Dólar recua ante rivais após coletiva de Donald Trump

O dólar perdeu terreno na comparação com os seus principais rivais nesta quarta-feira, 11, após o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, conceder sua primeira coletiva de imprensa do ano, oferecendo pouca clareza sobre seus planos de estímulos econômicos.

No fim da tarde em Nova York, o dólar recuava para 115,48 ienes, de 115,63 ienes na tarde de ontem; o euro avançou para US$ 1,0574, de US$ 1,0564; e a libra subiu para US$ 1,2202 de US$ 1,2170.

Os investidores esperavam que Trump não discutisse seus planos para cortar impostos, reduzir a regulação e impulsionar os estímulos fiscais durante a coletiva. No entanto, as novas informações sobre essas políticas foram escassas.

Trump disse que imporia taxas a companhias americanas que movessem empregos para o exterior e reiterou suas críticas contra acordos comerciais “ruins”, citando a China e o México.

Os investidores têm levado o dólar às alturas desde a eleição americana de novembro, apoiados por esperanças de que os planos de estímulos de Trump possam acelerar o crescimento econômico.

Enquanto isso, as moedas de países emergentes apresentaram um comportamento misto diante da divisa americana.

A moeda mexicana oscilou entre perdas e ganhos, mas o dólar acabou avançando para 21,9167 pesos mexicanos após Trump indicar que vai prosseguir com uma abordagem linha dura com o México, de acordo com Win Thin, estrategista da Brown Brothers Harriman. Investidores têm levado o peso mexicano a mínimas recordes ante o dólar sob temores de que o governo Trump assuma uma postura de conflito com o país vizinho.

Outras moedas emergentes encontraram apoio no forte avanço do petróleo e o dólar acabou recuando para 59,716 rublos russos e caindo para 1,3182 dólares canadenses, no fim da tarde. (Com informações da Dow Jones Newswires)