Bola de cristal

23/11/2012

Compartilhe:

Imprimir:

92.jpg

  Dinheiro_EE_Gradilone_255.jpg

Assista à entrevista com o editor de finanças, Cláudio Gradilone

 

 

O ano de 2013 será de sorte ou de azar? Depende. O número 13 envolve muitas superstições e diferentes crenças mundo afora. Na dúvida, o melhor a fazer é garantir logo alguns amuletos para se proteger das turbulências do mercado e andar sempre com um bom talismã. É bom não esquecer do sal grosso, de ver a sorte nas folhas de chá e de consultar os arcanos antes de decidir onde colocar seus recursos. Pensando na sorte dos seus investimentos, DINHEIRO lança a edição especial Onde Investir em 2013. Tradicionalmente publicado na primeira semana do ano, este guia para seus investimentos chegou mais cedo às suas mãos devido ao momento inédito por que passa o mercado financeiro brasileiro. 

 
93.jpg
 
Nunca, desde a estabilização da economia, o investidor teve de enfrentar juros tão baixos e um cenário tão desafiador na renda variável e no câmbio. Assim, a velha fórmula de dedicar boa parte de seu patrimônio a aplicações seguras de renda fixa e tentar aproveitar as melhores oportunidades em outros mercados deixou de ser suficiente. Um bom exemplo são as cadernetas de poupança. Pelas novas regras, mesmo sendo isentas de impostos e de tarifas, elas já não defendem o poupador da variação dos índices de inflação. Isso requer mais estudo, mais preparação e mais análise. Como de hábito, procuramos desvendar a magia da renda variável. 
 
Além dos melhores fundos de ações, esta edição traz um levantamento das apostas dos profissionais do mercado financeiro para os próximos meses. Depois de ganhar muito com papéis de empresas vinculadas ao mercado doméstico, a recomendação, agora, é diversificar, de olho em uma recuperação da economia internacional. Para orientar seus investimentos em fundos no novo ano que se aproxima, consultamos os melhores especialistas, verdadeiros magos das finanças, e escolhemos os fundos de investimento com a melhor relação entre risco e retorno, nas diversas categorias. Das carteiras mais conservadoras às mais arriscadas, das aplicações mais simples às mais sofisticadas, apresentamos o melhor à disposição do investidor.
 
A edição deste ano traz uma novidade. A redução sistemática dos juros e a expectativa de sua permanência no patamar atual tornam muito mais difícil a tarefa já árdua de preparar-se para a aposentadoria. Será preciso poupar mais, poupar por mais tempo e, principalmente, poupar melhor, obtendo o máximo do capital investido. Por isso, dedicamos um espaço especial para apresentar não apenas a mudança necessária na estratégia de preparar-se para essa fase da vida, como também mostramos as novidades que deverão estar disponíveis nos bancos e nas seguradoras ao longo dos próximos meses. Com elas, será possível garantir seu futuro ? sem truques.
 
 
 
 

Avalie esta notícia:  starstarstarstarstar

Compartilhe:

Imprimir:

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)