Karmann-Ghia volta às origens

05/04/2013

Compartilhe:

Imprimir:

Desenvolvido em 1950 para dar uma polida na imagem da Volkswagen, que até então se limitava a vender os populares Fusca e Kombi, o Karmann-Ghia se transformou em um ícone da indústria automotiva mundial. O carrinho é fruto de uma parceria entre a montadora alemã e sua compatriota, a fabricante de carrocerias Karmann Karosseriewerk. Esta, por sua vez, encomendou o design do modelo ao estúdio italiano Carrozzeria Ghia (daí o nome Karmann-Ghia). No Brasil, o veículo esportivo para duas pessoas foi montado de 1962 a 1972, em uma fábrica própria às margens da rodovia Anchieta, em São Bernardo do Campo, na região do ABC paulista. 

 
18.jpg
Raridade: Assis, novo controlador da empresa, usará a tradição do Karmann-Ghia
para tirar a companhia do vermelho
 
Nesses dez anos, foram vendidas 23,5 mil unidades. Mesmo fora de linha há mais de 40 anos, ele é considerado uma joia pelos aficionados por carros. Tanto que o possante é cobiçado por colecionadores, que chegam a pagar até R$ 85 mil por um exemplar em bom estado. Os saudosistas, agora, podem sonhar com uma nova versão do carro ? pelo menos na prancheta. Esse é um dos compromissos do empresário paulista Jonas Hipólito de Assis, presidente da ILP Industrial, que comprou a antiga fábrica da Karmann-Ghia Brasil, no fim do ano passado. Assis resolveu lançar um concurso de design entre universitários para redesenhar o esportivo para os dias de hoje. 
 
Por enquanto, a iniciativa é encarada apenas como uma estratégia de marketing para revitalizar a marca da empresa. A premiação do concurso será de R$ 100 mil para o projeto vencedor, R$ 60 mil para o segundo colocado e R$ 30 mil para o terceiro. ?Precisamos renovar a imagem da companhia?, afirma Assis. ?Muita gente acha que depois do Karmann-Ghia a fábrica fechou.? A segunda tarefa de Assis é justamente revitalizar a fábrica da Karmann-Ghia, que vinha operando em marcha lenta e, segundo ele, acumulava dívidas milionárias. Hoje, ela fornece peças, ferramentais e serviços para a indústria automobilística. 
 
No passado, chegou a montar o VW SP2, outro esportivo ao estilo do Karmann-Ghia, e o Ford Escort XR3 conversível. Até 2006, o Land Rover Defender também era produzido na unidade às margens da rodovia Anchieta. Ao assumir a empresa, Assis iniciou um plano de investimento de mais de R$ 30 milhões para modernizar a unidade industrial. Ela está em fase de obras com a construção de uma nova linha de seis prensas importadas da Alemanha. Com essa estrutura, Assis espera que seu faturamento salte de R$ 220 milhões, em 2012, para R$ 300 milhões este ano. Além de melhorar a eficiência na produção de componentes, o empresário pretende voltar a montar veículos na unidade. 
 
A empresa está, inclusive, negociando com marcas de luxo para terceirizar o serviço, como fez com a Land Rover. O empresário, no entanto, não vai tocar o projeto de relançamento do Karmann-Ghia sozinho. Segundo ele, para que o novo esportivo chegue às concessionárias, seria necessário que alguma montadora assumisse o projeto, repetindo a velha receita de parceria que foi tão bem-sucedida com a Volkswagen, a Karmann Karosseriewerk e com a Carroceria Ghia, na metade do século passado. ?É um sonho possível porque no regulamento do concurso as medidas do projeto são compatíveis com as plataformas de vários carros vendidos no País?, afirma Assis.
 
19.jpg
 

Avalie esta notícia:  starstarstarstarstar

Compartilhe:

Imprimir:

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)

Leia também