Economia

Chanceler da Suécia é investigada por aluguel de imóvel

A procuradoria anti-corrupção da Suécia anunciou nesta terça-feira a abertura de um inquérito preliminar sobre as condições em que a ministra das Relações Exteriores, Margot Wallström, obteve um apartamento para alugar pertencente a um sindicato.

“Há relatos na imprensa que representantes do sindicato Kommunal prometeram e, em seguida, proporcionaram um contrato de aluguel com a ministra Margot Wallström por uma casa em Estocolmo, pertencente a este sindicato”, indica a procuradoria em um comunicado.

Referindo-se às suspeitas que cercam o caso, a procuradoria “decidiu abrir uma investigação de corrupção”.

O escândalo estourou quando o jornal Aftonbladet revelou que o sindicato Kommunal permitiu que a ministra aloja-se na capital com um aluguel que é limitado por lei, sem esperar vários anos como ocorre com outros inquilinos.

Wallström, de 61 anos, é a personalidade mais controversa do governo sueco. Partidária de uma “diplomacia feminista” e com posições muito claras em favor dos direitos humanos, conquistou a inimizade de países como Arábia Saudita e Israel.

“Elogio a abertura de um inquérito. Eu não tenho nada a esconder, e é positivo que tudo seja esclarecido”, escreveu a ministra à agência de notícias TT.

hh/phy/ros/me/app/mr