Ibre: índice de economia subterrânea recua para 15,9%

26/11/2013

Compartilhe:

Imprimir:

O Índice de Economia Subterrânea (IES) - economia que contempla a produção de bens e serviços não reportada ao governo e que fica à margem do PIB nacional - alcançou a marca de 15,9% em 2013, o que representa redução de 0,8 ponto porcentual em relação ao ano anterior, de acordo com levantamento divulgado nesta terça-feira, 26, pelo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) em conjunto com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (IBRE/FGV). Em valores absolutos, a pesquisa aponta que a economia subterrânea supera a marca de R$ 760 bilhões este ano.

Em nota, o pesquisador do IBRE/FGV Fernando de Holanda Barbosa Filho diz que a diminuição da informalidade, sinalizada pelo indicador, é um reflexo da situação vivida pelo mercado de trabalho brasileiro formal. "Fatores como o cada vez menor crescimento demográfico, com a consequente redução da população economicamente ativa, influenciam a queda do desemprego, e uma taxa de desemprego baixa favorece o recuo da informalidade", diz.

No entanto, o economista pondera que, ao analisar a diminuição da economia subterrânea, também devem ser considerados outros fatores pontuais, como a desoneração da folha de pagamento temporária para alguns setores da economia.

Copyright © 2013 Agência Estado. Todos os direitos reservados.

Avalie esta notícia:  starstarstarstarstar

Compartilhe:

Imprimir:

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)