Cresce a diversificação das empresas brasileiras

15/05/2012

Compartilhe:

Imprimir:

O ano de 2010 registrou um aumento na diversificação das empresas brasileiras, segundo o Cadastro Central de Empregos 2010 (Cempre), divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar do aumento de 5,8% no número de empresas e outras organizações, em relação a 2009, o Comércio perdeu participação (-2,3 ponto porcentual), assim como a Indústria da Transformação (-0,4 ponto porcentual) e Outras atividades de serviços (-0,4 ponto porcentual).

Ganharam espaço na economia as atividades de Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (1,1 ponto porcentual), Construção (0,8 ponto porcentual), Atividades profissionais científicas e técnicas (0,5 ponto porcentual), Transporte, armazenagem e correio (0,3 ponto porcentual), Atividades imobiliárias (0,2 ponto porcentual), Atividades administrativas e serviços complementares (0,1 ponto porcentual), Saúde humana e serviços sociais (0,1 ponto porcentual) e Alojamento e alimentação (0,1 ponto porcentual).

"A participação relativa do Comércio no número de empresas recuou, embora o Comércio ainda lidere o número de empresas, o pessoal ocupado e o pessoal assalariado", apontou Denise Guichard, gerente de Planejamento, Disseminação e Análise do Cempre. "Isso mostra que houve uma diversificação maior das atividades das empresas brasileiras."

As microempresas ainda figuraram com uma fatia de 88,5% das empresas nacionais em 2010, contra 9,9% das pequenas, 1,3% de médias, e 0,3% de grandes empresas. Entretanto, 58% da massa salarial paga aos trabalhadores no País e 42,9% da força de trabalho ainda ficaram concentrados nas grandes companhias.

"Há um predomínio de microempresas no País. Mas, em termos salariais e pessoal ocupado assalariado, são as grandes empresas que se destacam", ressaltou Denise. "Quanto maior o tamanho da empresa, maior o salário médio. São as empresas grandes que pagam salários acima da média."

Enquanto o salário médio real pago pela microempresa foi de R$ 825,42 em 2010, o trabalhador de uma grande empresa ganhou, em média, R$ 2.019,57. Na pequena empresa, o salário médio foi de R$ 989,08, e, na empresa de médio porte, de R$ 1.349,08.

Copyright © 2012 Agência Estado. Todos os direitos reservados.

Avalie esta notícia:  starstarstarstarstar

Compartilhe:

Imprimir:

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)