ECONOMIA

online | ECONOMIA | 16.MAI.12 - 14:06 | Atualizado em 16.04 - 13:19

Cresce a diversificação das empresas brasileiras

Por Daniela Amorim

O ano de 2010 registrou um aumento na diversificação das empresas brasileiras, segundo o Cadastro Central de Empregos 2010 (Cempre), divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar do aumento de 5,8% no número de empresas e outras organizações, em relação a 2009, o Comércio perdeu participação (-2,3 ponto porcentual), assim como a Indústria da Transformação (-0,4 ponto porcentual) e Outras atividades de serviços (-0,4 ponto porcentual).

Ganharam espaço na economia as atividades de Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (1,1 ponto porcentual), Construção (0,8 ponto porcentual), Atividades profissionais científicas e técnicas (0,5 ponto porcentual), Transporte, armazenagem e correio (0,3 ponto porcentual), Atividades imobiliárias (0,2 ponto porcentual), Atividades administrativas e serviços complementares (0,1 ponto porcentual), Saúde humana e serviços sociais (0,1 ponto porcentual) e Alojamento e alimentação (0,1 ponto porcentual).

"A participação relativa do Comércio no número de empresas recuou, embora o Comércio ainda lidere o número de empresas, o pessoal ocupado e o pessoal assalariado", apontou Denise Guichard, gerente de Planejamento, Disseminação e Análise do Cempre. "Isso mostra que houve uma diversificação maior das atividades das empresas brasileiras."

As microempresas ainda figuraram com uma fatia de 88,5% das empresas nacionais em 2010, contra 9,9% das pequenas, 1,3% de médias, e 0,3% de grandes empresas. Entretanto, 58% da massa salarial paga aos trabalhadores no País e 42,9% da força de trabalho ainda ficaram concentrados nas grandes companhias.

"Há um predomínio de microempresas no País. Mas, em termos salariais e pessoal ocupado assalariado, são as grandes empresas que se destacam", ressaltou Denise. "Quanto maior o tamanho da empresa, maior o salário médio. São as empresas grandes que pagam salários acima da média."

Enquanto o salário médio real pago pela microempresa foi de R$ 825,42 em 2010, o trabalhador de uma grande empresa ganhou, em média, R$ 2.019,57. Na pequena empresa, o salário médio foi de R$ 989,08, e, na empresa de médio porte, de R$ 1.349,08.

Copyright © 2012 Agência Estado. Todos os direitos reservados.


ASSUNTOS RELACIONADOS

Multimídia

Quem vai mandar nessa turma?

Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica, prepara-se para passar o comando da empresa para seus filhos. em jogo, um negócio que movimenta mais de R$ 2 bilhões em 30 países

A fórmula do milionário das farmácias

Sidney Oliveira, presidente da Ultrafarma, transformou sua pequena farmácia em uma empresa de R$ 650 milhões. Confira os bastidores da reportagem de André Jankavski

Os novos empreendedores do mercado erótico

Conheça histórias de empresários que mudaram radicalmente de ramo e decidiram apostar na indústria do prazer - que atualmente movimenta mais de US$ 46 bilhões por ano no mundo

Economia - Um vice-presidente com voz própria e personalidade forte

Crédito: Roberto Castro/Ag. Istoé

- - Fatos em Destaque

- - Fatos em Destaque


Por favor, preencha todos os campos abaixo para deixar seu comentário.
A Istoé Dinheiro pode utilizar este comentário para divulgação na revista impressa.

    Isto é compartilhar

    Divida sua leitura com seus amigos

    Colunas

    ver todos
    publicidade

    Edições especiais

    índice de matérias edições anteriores edições especiais assine a revista

    © Copyright 1996-2011 Editora Três
    É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
    Fechar [X]