MERCADO DIGITAL

Nº edição: 195 | 11.MAI.01 - 10:00 | Atualizado em 18.04 - 11:11

UM DIRIGÍVEL NA AMAZÔNIA

No ar, uma nova opção para transporte de carga

Por Paula Pacheco

Não será um pássaro, nem um avião, tampouco um OVNI. O que os brasileiros verão nos céus em 2002 será o primeiro dirigível a ser usado no País para o transporte de cargas. Nada a ver com o antigo Zeppelin. Movido a gás hélio, não-inflamável, o balão será o primeiro teste da alemã CargoLifter fora da Europa. O projeto começou a ser discutido entre representantes do fabricante e os técnicos da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) no fim do ano passado e o vôo experimental acontece até novembro de 2002. A principal vantagem em relação a meios de transporte como barco, caminhão e trem é a rapidez. No transporte convencional, o percurso entre Manaus e São Paulo leva de 10 a 12 dias. Com o balão, o mesmo trajeto é cumprido em 36 horas. Há ainda outras vantagens. “Em Manaus, a logística é complicada e o dirigível pode resolver um gargalo que até então não se tinha idéia de como melhorar”, afirma Hernan Valenzuela, consultor da Suframa. Algumas empresas como a Petrobras, com quem a CargoLifter está negociando, têm extremas dificuldades no transporte de equipamentos pesados. Com o dirigível, não é preciso abrir estradas para chegar com caminhões a lugares de difícil acesso. Segundo Henrique Zuppardo, presidente da Megatranz, representante da empresa alemã no Brasil, a idéia é ter o País como uma base de apoio para o atendimento à América do Sul.

O primeiro modelo a chegar ao Brasil, o CL75, tem capacidade para transportar 75 toneladas. Já o CL160, em fase de construção e que só deverá estar pronto entre 2004 e 2005, pode carregar na sua gaiola até 160 toneladas, ou o equivalente a 35 contêineres. O custo de locação diária é de US$ 60 mil. “Vale a pena quando o valor agregado da mercadoria é alto, quando o local é de difícil acesso, em situações em que é necessário reduzir o tempo de transporte e, principalmente, quando a carga tem peso ou tamanho muito grande”, explica o presidente da Megatranz. Nos casos em que a carga é algum tipo de commodity (caso da produção agrícola ou do aço), é preferível o sistema tradicional, como caminhão, por causa do baixo valor agregado. Até o lançamento do dirigível, a CargoLifter planeja investir mais de US$ 600 milhões.


Multimídia

A missão mais difícil de Belini

O executivo que fez da Fiat a maior montadora do País tem pela frente a tarefa de manter a liderança do mercado em um ambiente de crise, cercado por concorrentes cada vez mais agressivos e numerosos. Confira os bastidores da reportagem

Quem vai mandar nessa turma?

Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica, prepara-se para passar o comando da empresa para seus filhos. em jogo, um negócio que movimenta mais de R$ 2 bilhões em 30 países

Os novos empreendedores do mercado erótico

Conheça histórias de empresários que mudaram radicalmente de ramo e decidiram apostar na indústria do prazer - que atualmente movimenta mais de US$ 46 bilhões por ano no mundo

Economia - Um vice-presidente com voz própria e personalidade forte

Crédito: Roberto Castro/Ag. Istoé

- - Fatos em Destaque

- - Fatos em Destaque


  • ??? ??

    em 07/10/2013 21:41:12

    ??? ????? ??? ?? http://www.firg8.com/

    Denuncie esse comentário

    • BRUNO

      em 14/09/2011 10:48:30

      O Voo nunca foi realizado,a empresa declarou falencia em julho de 2002.

      Denuncie esse comentário

      • Pierre

        em 09/08/2011 19:07:27

        Que aconteceu com esse projeto? A sociedad alemão CargoLifter termineu em junio 2002, segum o artigo em Wikipedia (en). Mais, aconteceu o voo teste em Manaus ?

        Denuncie esse comentário

        Por favor, preencha todos os campos abaixo para deixar seu comentário.
        A Istoé Dinheiro pode utilizar este comentário para divulgação na revista impressa.

          Isto é compartilhar

          Divida sua leitura com seus amigos

          Colunas

          ver todos
          publicidade

          Edições especiais

          índice de matérias edições anteriores edições especiais assine a revista

          © Copyright 1996-2011 Editora Três
          É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
          Fechar [X]