Economia

FGV: Mão de obra pressiona inflação da construção no IGP-10 de julho

Os preços dos serviços e materiais usados na construção civil voltaram a subir em julho, mas foram as despesas com mão de obra que pressionaram a inflação do setor no mês, dentro do Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), divulgado nesta segunda-feira, 17, pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-10) avançou 0,62% em julho, ante um aumento de 0,92% em junho. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços teve alta de 0,10%, após o recuo de 0,09% verificado no mês anterior. Já o índice que representa o custo da Mão de Obra registrou aumento de 1,04% em julho, ante uma elevação de 1,76% em junho.

Em julho, os itens com aumentos de preços mais relevantes foram servente (1,34%), ajudante especializado (0,83%), carpinteiro de forma e esquadria (1,17%), bombeiro (1,74%) e pedreiro (0,88%). Na direção oposta, as reduções mais importantes foram nos itens elevador (-0,82%), cimento Portland comum (-1,06%), vergalhões e arames de aço ao carbono (-0,66%) gesso (-0,93%) e aluguel de máquinas e equipamentos (-0,11%).