Edição nº 1037 22.09 Ver ediçõs anteriores

Engenharia ambiental

Engenharia ambiental

DIN1015-sustenta2A saída para o aquecimento global é simples: reduzir as emissões de carbono e garantir que o planeta não aqueça mais do que 2°C, até 2050, como foi estabelecido no Acordo de Paris, no final de 2015. Mas, e se não for possível? A ciência, aparentemente, já tem uma alternativa. Trata-se da chamada geoengenharia, um ramo de estudos que tem ganhado adeptos em grandes universidades. A ideia é desenvolver mecanismos tecnológicos que compensem os efeitos da atividade econômica ao meio ambiente, esfriando artificialmente a atmosfera. Uma reportagem da revista MIT Technology Review, publicada na terça-feira 18, aponta que cada vez mais cientistas consideram esse tipo de tecnologia mais do que uma opção: uma necessidade. “Todo mundo está pensando em manter os 2°C, mas eu acho que teremos sorte se conseguirmos ficar em 4°C”, afirmou Daniel Schrag, diretor do Centro de Meio Ambiente da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, à publicação.

A reportagem cita um trabalho de David Mitchell, pesquisador da Universidade de Nevada, que estuda uma maneira de criar nuvens artificiais usando drones. Já os professores de Harvard David Keith e Frank Keutsch pretendem desenvolver materiais que, lançados na estratosfera, reflitam as radiações solares. No próximo ano, eles planejam lançar um balão atmosférico para dar início às pesquisas. Há, no entanto, muita polêmica em torno do assunto. Um grande número de cientistas também acredita que não é seguro tentar manipular o clima terreno e que os efeitos colaterais podem ser piores do que lidar com as consequências do aquecimento global. “Nós sabemos que os problemas são as emissões de gases do efeitos estufa”, afirma Dan Cziczo, cientista do MIT. “Então, a solução é eliminar os gases. Não devemos tentar algo que não entendemos.”

(Nota publicada na Edição 1015 da revista Dinheiro)

Mais posts

Rock’n Rio pela Amazônia

Conhecido como o maior festival de música do planeta, o Rock in Rio deste ano se tornou uma gigantesca vitrine em defesa da Amazônia. [...]

A agonia da Baía de Guanabara

Um dos cartões-postais da Cidade Maravilhosa, a Baía de Guanabara está cada vez mais poluída. Um estudo ainda em elaboração pelo Banco [...]

Trump vai recuar?

Uma boa notícia para o meio ambiente. O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, afirmou que os Estados Unidos podem [...]

Toda ajuda é bem-vinda

Quando a idade chega, qualquer ajuda faz toda a diferença. É por isso que a Central Nacional Unimed (CNU) está ampliando seus cursos de Cuidadores de Idosos, iniciado em 2014, e que já formou 150 pessoas. “Devido ao sucesso desta capacitação, vamos reformular a metodologia para que tenha abrangência nacional, promovendo a empregabilidade e melhorando […]

O exemplo vem de cima

O famoso telhado verde do Shopping Eldorado, em São Paulo, onde desde 2012 são cultivadas alfaces, manjericões, berinjelas, hortelãs e [...]
Ver mais