Finanças

Dólar sobe ante iene, mas cai ante euro após pesquisa eleitoral na França

O dólar avançou ante o iene, beneficiado por comentários do secretário de Tesouro americano, Steven Mnuchin, segundo o qual em breve o governo do presidente Donald Trump apresentará seu plano de reforma tributária. Além disso, o maior apetite por risco deixou a moeda em baixa ante várias divisas emergentes e commodities.

No fim da tarde em Nova York, o dólar subia a 109,31 ienes e o euro avançava a US$ 1,0722.

Alguns investidores têm reduzido suas posições em dólar nas últimas semanas. O fracasso dos republicanos em substituir o sistema de saúde do ex-presidente Barack Obama afetou a divisa, com mais dúvidas sobre cortes de tributos e gastos em infraestrutura. A declaração de Mnuchin, porém, fez o dólar bater máximas ante o iene hoje.

O euro, por sua vez, esteve apoiado após algumas pesquisas eleitorais na França mostrarem o candidato centrista Emmanuel Macron bem posicionado, dias antes do primeiro turno de domingo no país. As sondagens em geral indicam que a rival dele no segundo turno deve ser Marine Le Pen, de extrema-direita, mas as pesquisas também mostram vantagem considerável de Macron na disputa final, que ocorre em 7 de maio.

A declaração de Mnuchin e relatos em Washington de que a reforma no sistema de saúde poderia ser votada nos EUA na semana que vem colaboraram para aumentar o apetite por risco.

Alguns dados dos EUA não muito fortes contribuíram para enfraquecer levemente o dólar ante algumas moedas. Os novos pedidos de auxílio-desemprego subiram 10 mil na última semana, para 244 mil, ante previsão de 240 mil dos analistas. O índice de atividade regional do Federal Reserve da Filadélfia, por sua vez, caiu de 32,8 em março para 22 em abril, ante expectativa de 27,5.

Tópicos

moedas