Dinheiro em Ação

Cruzeiro do Sul Educacional estuda IPO

Crédito: Divulgação

Quem vem lá

A Cruzeiro do Sul Educacional, o sexto maior grupo de educação privada no País, com oito instituições de ensino superior e sete colégios, analisa a realização de uma oferta pública inicial de ações (IPO) para financiar suas próximas aquisições, segundo disse à DINHEIRO o diretor de planejamento da companhia, Fábio Figueiredo. O grupo educacional vendeu uma fatia de 37% para a Actis, fundo de private equity britânico, por US$ 100 milhões, em 2012.

Parte desses recursos foi usada na maior aquisição já feita pelo grupo: a compra da Universidade da Cidade de São Paulo (Unicid). Na semana passada, essa participação foi vendida, por valor não revelado, ao fundo soberano de Cingapura (CIG). “O CIG tem uma visão de longo prazo, sem um período definido de maturação”, diz Figueiredo. Com baixa exposição Fies, o grupo inicia esse ciclo com apenas 514 alunos com essa modalidade de financiamento estudantil, em um universo de 37 mil alunos presenciais. “Todos os demais grupos educacionais foram impactados pela redução do Fies, mas nós não”, comentou o executivo.

 

Aviação

Embraer desembarca no Vale do Silício

De olho no potencial de novas tecnologias como inteligência artificial, robótica, realidade virtual e veículos autônomos para o setor aéreo, a fabricante brasileira de jatos Embraer anunciou, na terça-feira 14, a criação de um programa nos Estados Unidos. A iniciativa acontecerá no Vale do Silício e em Boston, regiões que reúnem startups e universidades como Stanford, Harvard e Massachusetts Institute of Technology (MIT). No ano, as ações da Embraer sobem 16,6%.

 

Alimentos

JBS lucra R$ 694 milhões no quarto trimestre

DIN1010-emacao2

A JBS divulgou, na segunda-feira 13, ter apurado lucro líquido de R$ 694 milhões no quarto trimestre de 2016, revertendo o prejuízo de R$ 275,1 milhões em igual intervalo de 2015. No trimestre, ela obteve receita líquida de R$ 41,63 bilhões, queda de 11,7% na comparação anual. A JBS encerrou o ano com lucro líquido de R$376 milhões, o que resultará no pagamento de R$0,14 por ação.

 

Touro x Urso

Na semana passada, as commodities fizeram a bolsa andar. O Ibovespa encerrou na quinta-feira 16 em alta de 2,37%, a 66.234 pontos, acompanhando bolsas internacionais. O Fed elevou os juros norte americanos em 0,25% e manteve suas projeções de mais duas elevações em 2017, mantendo a sinalização de gradualismo, o que acalmou o mercado.

 

Destaque no pregão

Vacância e descontos elevam perdas da BR Malls

Carlos MedeirosFoto: Jonne Roriz/Estadão Conteúdo

A administradora de shopping centers BR Malls, comandada por Carlos Medeiros, teve prejuízo líquido de R$ 147,7 milhões no quarto trimestre, ante um resultado positivo de R$ 40,5 milhões no mesmo período de 2015. Segundo a companhia, o resultado reflete a maior crise do varejo brasileiro no ano passado, o que aumentou a inadimplência de 1,9% para 5,5%, na comparação anual, além da vacância e dos descontos em valores de aluguéis em seus empreendimentos. A empresa viu sua receita líquida cair 3,9%, para R$ 388,6 milhões. Já as despesas gerais e administrativas subiram 3,4%. O indicador de rentabilidade dos shoppings, chamado de Noi, caiu 6,2% no quarto trimestre, para R$ 360,7 milhões. Mas, considerando o metro quadrado, o Noi foi o maior desde 2013. No ano, as ações sobem 23,0%.

Palavra do analista:
Com a recomendação de compra da ação, o time da Citi Corretora aponta que a queda na receita de alugueis deve-se à estratégia da empresa de ajustar o mix de inquilinos, visando uma combinação produtiva, mas em valores menores de alugueis.

 

Banco

EFG quer pagar menos ao BTG Pactual pelo suíço BSI

O escândalo envolvendo o fundo soberano do governo malaio 1Malaysia Development Bhd (1MDB), que está envolvido em desvios de recursos, e o banco suíço BSI, resultou na saída em massa de clientes. Isso resultou na redução nos ativos administrados, que teriam caído de cerca de 170 bilhões de francos suíços para 144,5 bilhões de francos suíços. O EFG, que comprou o BSI do BTG Pactual em fevereiro de 2016, agora quer reduzir o valor da fatura de 1,3 bilhão de francos suíços para 783,9 milhões de francos suíços, o que deve iniciar uma batalha jurídica. No ano, as units do BTG Pactual sobem 40,5%

 

DIN1010-emacao5

 

Mercado em números

AES TIETÊ
R$ 1 – É o valor de cada debênture da companhia, em duas séries, com vencimentos em 2022 e 2024. A emissão de um bilhão de títulos da espécie quirografária não conversíveis em ações terá distribuição pública com esforços restritos

PAR CORRETORA
R$ 451 milhões – Foi a receita da empresa em 2016, alta de 14,8% em relação a 2015. No exercício, o lucro líquido foi de R$ 148,2 milhões, avanço de 13,9%

ESTÁCIO
R$ 124 milhões – Foi o lucro líquido apurado pelo grupo no quarto trimestre, uma alta de 134% em relação aos R$ 53 milhões apurados no mesmo intervalo de 2015

SUZANO
R$ 100 milhões – É a linha de crédito que a produtora de papel e celulose terá para financiar clientes brasileiros. A operação foi estruturada por meio de um fundo de investimento em direitos creditórios, em parceria com o Rabobank

MAGNESITA
10% – É o percentual do capital social que a produtora de itens refratários pretende adquirir em seu programa de recompra de ações ordinárias. Isso corresponde a 2,62 milhões de papéis