Edição nº 1036 15.09 Ver ediçõs anteriores

Quatro lições para construir a sua marca

Boa reputação da marca influencia velocidade do crescimento da empresa 

Quatro lições para construir a sua marca

Hoje o mundo passa por muitas transformações. O mercado vê cada vez mais o desaparecimento da fronteira entre relacionamentos de negócios e vida pessoal. Especialistas dizem, em geral, que estamos vendo a fronteira entre os modelos de “B2B” (business to business) e “B2C” (business to consumers) lentamente desaparecer, para se tornar uma relação mais “B2H”, um acrônimo para “business to humans”. Afinal, mais do que um relacionamento entre empresas, ou entre empresas e consumidores, estamos hoje nos relacionando com pessoas, e é preciso ter isso em mente ao construir a sua marca. Afinal, como nós sabemos aqui na Kantar Vermeer, as marcas com alto potencial e boa reputação entre o público crescem em geral 6x mais do que outras marcas, o que significa que essa preocupação com certeza vai gerar dividendos para a empresa no fim do processo.

Quem são as pessoas com quem estamos lidando?

Um dos grandes desafios atuais é entender a nova geração, conhecida pelo nome de Millennials, ou geração Y. Eles têm outros anseios, vontades e exigências, veem o mundo de uma forma diferente e se portam – seja como profissionais ou como consumidores – de uma maneira muito diversa. Se precisamos nos relacionar de forma B2H, é essencial ter empatia com essa nova geração, compreender quais seus talentos, quais as suas dificuldades, e quem sabe até modificar a forma como lidamos com esse futuro “comprador” ou “consumidor”.

Quatro lições para construir e gerir a sua marca

1. Tenha um propósito

Defina um propósito que esteja alinhado com a proposta da sua marca e com os anseios do seu público. Aqui na Kantar Vermeer, sabemos que marcas B2B com alto potencial de marca cresceram 6x mais rápido em valor, conforme mostra o gráfico abaixo: 

2. Seja transparente para gerar confiança

Em momentos de crise, sabemos que as marcas mais valiosas são as que melhor sobrevivem a esse período de provação, e muitas vezes elas superam a crise se tornando ainda mais fortes. É imprescindível prezar pela transparência, já que as novas gerações demandam esse tipo de comportamento. Em um mundo de redes sociais que nos conectam à uma velocidade impressionante, não é mais possível enganar o consumidor. Esclareça o seu propósito, explique os detalhes de bastidores e, se preciso, peça desculpas.

Um caso de sucesso nessa questão da transparência que cria confiança, o McDonald’s é um incrível caso de sucesso. Diante das reclamações diversas sobre a diferença entre os seus lanches das fotos e os entregues nas lojas, a marca esclareceu o processo de criação dos “sanduíches modelo”, mostrando que eles levam muito mais tempo para serem preparados. Uma ação de transparência que teve enorme repercussão midiática e que reforça o valor da marca.

3. Inove!

Muitas vezes as corporações são criadas dentro de estruturas muito rígidas, que não oferecem espaço para o “erro saudável”, que gera aprendizado e leva à inovação. Essa cultura do “não posso errar” prejudica as empresas no longo prazo, porque não permite a experimentação que leva à criação de algo novo e melhor. A dica é ter cuidado com o excesso de regras, pois elas acabam limitando (ou limando!) a criatividade das equipes.

4. Cultive o amor à marca

Mais do que gostar de uma marca, os Millennials estão acostumados a “amar” uma marca. Isso porque consumi-las representa para eles algo mais do que um consumo utilitário, mas sim uma representação das suas crenças e valores. Conecte-se de forma profunda com o seu público: ao amar a sua marca, eles se tornam verdadeiros embaixadores da sua empresa.


Mais posts

Marcas com propósito são escudos contra crise

Aprendizados dos 11 anos do ranking das marcas brasileiras mais valiosas

Amazon e Alibaba se destacam entre marcas varejistas mais valiosas do mundo

Ambas as marcas, que hoje focam em lojas virtuais, anunciaram que estão se preparando para ter lojas físicas

Como os Millennials têm influenciado o ranking das marcas mais valiosas

A geração dos nascidos entre 1981 e 2005 busca autenticidade, tecnologia e compartilhamento

Tecnologia: vilã ou mocinha?

Será que estarmos cada vez mais plugados traz impactos negativos para as marcas associadas às telecomunicações?

Quantas marcas preciso para otimizar o valor da minha empresa?

Outro dia, andando pela cidade, verifiquei algo que me chamou atenção. Além das inúmeras placas de [...]
Ver mais