Edição nº 1011 24.03 Ver ediçõs anteriores

Terapia a galope

Terapia a galope

O hipismo é um esporte muito ligado à vida luxuosa da elite. Ser dono de um cavalo é, desde sempre, um sinal de riqueza e sucesso. Esse animais cobiçados, no entanto, estão ganhando um nova função na sociedade: a de terapeutas. A equoterapia é um método que utiliza o cavalo para acelerar o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiências físicas, intelectuais, sociais e emocionais. A técnica vem ganhando espaço em diversos haras e hípicas do Brasil. A Afei (Associação Filantrópica de Equoterapia de Ibiúna), criada por Márcia e Mayara Verde, do Centro Hípico Recanto Galícia, no interior de São Paulo, atende gratuitamente 15 crianças e adultos com enfermidades como autismo, paralisia cerebral e Doença de Parkinson. A entidade quer ampliar os atendimentos sociais e oferece a empresas e pessoas físicas a possibilidade de se “adotar” uma criança. Por R$ 600 por mês é possível custear todo o tratamento e o valor doado por ser deduzido do Imposto de Renda. A equoterapia recebeu mais um estímulo em dezembro. A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou uma proposta do ex-senador Flavio Arns para regulamentar esse tipo de terapia como método de reabilitação. O texto aprovado agora seguirá para o Plenário do Senado.

(Nota publicada na Edição 1000 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Ética desvalorizada

O Instituto Ethisphere, entidade americana que promove a ética empresarial, publicou recentemente a sua lista das empresas mais éticas [...]

Luz na escuridão

A Schneider Electric, fabricante de equipamentos elétricos, lançou mais uma fase do seu programa de acesso à energia, que tem o objetivo de levar energia renovável à comunidades que vivem sem acesso à rede elétrica. Quatro Estados do Norte e do Nordeste serão contemplados: Maranhão, Paraíba, Pernambuco e Tocantins. Além de oferecer sistemas fotovoltaicos, o […]

Brasil quer o fim da corrida nuclear

A embaixadora do Brasil em Genebra, Maria Nazareth Farani Azevêdo, afirmou recentemente que o desarmamento nuclear é o tema prioritário [...]

Cidadão do mundo

O rio Whanganui, na Nova Zelândia, foi reconhecido pelo parlamento do país como uma “pessoa”. Formalmente, ele foi declarado como uma [...]

Google pede desculpas

O gigante da internet Google se desculpou com uma série de anunciantes no Reino Unido, como o banco HSBC, a rede BBC e o McDonald’s, após ter veiculado propaganda dessas empresas atreladas a vídeos no YouTube que apresentavam conteúdos racistas, homofóbicos e antissemitas. Algumas companhias chegaram a retirar seus anúncios do site. A empresa afirmou […]

Ver mais

Recomendadas

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.