Edição nº 1019 19.05 Ver ediçõs anteriores

A engenharia reversa da Hyundai

A engenharia reversa da Hyundai

A indústria automobilística não vive o melhor de seus dias, é verdade, mas nem todos estão chorando a retração do mercado brasileiro. Nos corredores da coreana Hyundai, por exemplo, o clima é de festa. A marca fechou 2016 na quarta colocação do ranking nacional, um feito inédito na história. Nas últimas quatro décadas, Volkswagen, Fiat, Ford e GM se acotovelaram nas quatro primeiras posições. O diretor de vendas da Hyundai Brasil, Angel Martinez, atribui o feito ao desempenho da família HB20, modelo lançado há apenas cinco anos, e da vocação da marca para as linhas SUV, com Tucson, ix35 e Santa Fé. “Nosso segredo é fazer diferente dos outros, fazer o inverso da maioria”, afirma o executivo. Martinez se refere à estratégia de, em vez de simplificar os carros para ficarem mais baratos, oferecer automóveis mais bem equipados. “É importante saber que vende-se carros duas vezes: no ato da venda e no pós-venda. Consumidor insatisfeito nunca mais compra.”

(Nota publicada na Edição 1000 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Luís Artur Nogueira e André Jankavski)


Mais posts

“As reformas virão, mas serão adiadas”

Depois do discurso do presidente Michel Temer, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) não economizou nas críticas, dizendo que “Temer [...]

Pintou crescimento

O mercado de construção foi um dos mais afetados pela crise econômica dos últimos anos, arrastando a cadeia de material de construção. [...]

O jogo ficou mais difícil

A análise do senador Álvaro Dias sobre o cenário político para as eleições em 2018 é a de que o jogo ficará muito mais difícil para as [...]

Frase da semana

“Tô de bem com o Eduardo. Eu tô segurando as pontas com ele” Joesley Batista, CEO da J&F, para o presidente Michel Temer, sobre [...]

Mea culpa

Em evento fechado para investidores e empresários, promovido pela Consulting House, em São Paulo, o ministro de Minas e Energia, [...]
Ver mais