Geral

Alzugaray foi inovador e persistente, diz Fernando Henrique Cardoso

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso manifestou seu pesar com a morte de Domingo Alzugaray, fundador da Editora Três e da Revista ISTOÉ. “Domingos foi um empresário no sentido pleno: era inovador e persistente. A indústria jornalística sentia nele a audácia e a criatividade de um capitão de empresa. Mesmo na discórdia era capaz de manter o charme e a cordialidade”, disse o ex-presidente.

Nascido na cidade de Victória, província de Entre Rios, na Argentina, Domingo Alzugaray, Publisher e fundador da Editora Três, que edita as revistas semanais ISTOÉ e ISTOÉ Dinheiro, Dinheiro Rural, ISTOÉ Gente, Planeta, Menu, Motor Show e diversas outras publicações, naturalizou-se brasileiro em 1966.

Ele formou-se em Perícia Mercantil, mas preferiu iniciar a carreira como ator, trabalhando em teatro e cinema. Fez filmes como “Bendita Seas” (1956), “Pobres Habrá Siempre” (1958) e “Meus Amores no Rio” (1958). Atuou também em “Sábado a la noche, cine” (1960) e “Con el Más Puro Amor” (1966). Trabalhou como ator também em fotonovelas, até ser convidado pela Editora Abril para participar da produção de revistas como “Veja”. Nessa editora, foi diretor da Divisão de Revistas e Diretor Comercial.

Em 1972, deixou a Abril e criou a Editora Três, ao lado de Luis Carta e Fabrizio Fasano. A primeira revista a ser produzida pela Editora Três foi a Planeta. Lançou também a Status, a primeira revista brasileira voltada para o público masculino. Mas o grande sucesso foram mesmo as revistas ISTOÉ, ISTOÉ Dinheiro e Dinheiro Rural, os carros-chefe da Editora Três até a atualidade.

Com o sucesso editorial, Domingo Alzugaray recebeu várias honrarias, como a medalha Tiradentes em 1998 e o Prêmio Editor em 2011, concedido pela Associação Nacional de Editores de Revistas. Em 2013, recebeu também o Prêmio Personalidade da Comunicação, do Congresso Mega Brasil de Comunicação.

Alzugaray faleceu nesta segunda-feira (24), aos 84 anos.