Negócios

Air France inaugura rota e amplia presença no Brasil

Aos olhos da companhia, os investimentos feitos são os maiores desde a inauguração das rotas que ligaram a capital francesa ao Brasil, há quase 80 anos

Crédito: Divulgação

Boeing 787 Dreamliner, da Air France, que passará a voar para o Brasil (Crédito: Divulgação)

Pouco mais de um ano depois de terminar a rota Brasília-Paris, a companhia aérea Air France volta a ampliar sua atuação no Brasil. Aos olhos da companhia, os investimentos feitos são os maiores desde a inauguração das rotas que ligam a capital francesa a São Paulo e Rio de Janeiro, há quase 80 anos.

De acordo com Jean-Marc Pouchol, diretor-geral da Air France-KLM para a América do Sul, o grupo irá inaugurar até o final de setembro uma nova rota Europa-Brasil. Guardando segredo, Pouchol afirma que apenas uma coisa pode ser anunciada: o destino brasileiro será no Nordeste. As capitais Recife, Salvador e Fortaleza estão entre as três principais candidatas.

O executivo ainda falou que as duas companhias do grupo, a Air France e a KLM, poderão utilizar o novo “hub”, ligando o Nordeste a Paris e a Amsterdã, na Holanda. “O plano é o início das vendas em outubro e o início das operações a partir do início do verão europeu do ano que vem”, afirma Pouchol.

O executivo diz que o projeto saiu do papel em menos de um ano. “O projeto do lançamento do Hub Nordeste, em total cooperação com a Gol, começou a ser idealizado em fevereiro deste ano”.

O projeto, segundo o executivo, está respaldado na volta do apetite do brasileiro em voar para o exterior. Com a queda recente do dólar – o câmbio no fechamento de quarta-feira, 14, ficou em R$ 3,13, mais de 6% abaixo da cotação de um ano atrás – o poder de compra melhorou, abrindo oportunidades para as aéreas estrangeiras.

Segundo o Banco Central, os gastos de brasileiros em viagens ao exterior têm aumentado de um ano para cá. Embora esteja longe do auge de 2014, nos últimos doze meses terminados em julho, os gastos foram de US$ 17,3 bilhões, mais de US$ 3 bilhões a mais dos gastos registrados um ano atrás. O pico, na comparação em 12 meses, foi alcançado em setembro de 2014, quando as despesas somaram US$ 26,9 bilhões.

“Já vemos a retomada na demanda no mercado brasileiro, com resultado de aumento de dois dígitos em nossas reservas futuras, e, por consequência, a nossa oferta de capacidade também aumentará em dois dígitos”, afirma Pouchol.

Para aproveitar o momento, a Air France mudou sua estratégia para o inverno europeu. Normalmente, com as baixas temperaturas no velho continente, o interesse do brasileiro cai – principalmente por causa do turismo de negócios – e a companhia diminui o número de assentos disponíveis. Para esse ano, no entanto, a companhia manterá o mesmo número de cadeiras disponíveis no verão europeu, produzindo um incremento de 13% na capacidade na comparação anual.

Pelo lado da KLM, um novo voo diário entre o Rio e Amsterdã será inaugurado. Assim, serão 7 voos diários entre as duas cidades. Com esse voo, a frequência de viagens semanais do grupo Air France-KLM subirá para 35. O número deve aumentar com a inauguração da rota Nordeste-Europa.

Alguns mimos aos usuários brasileiros também fazem parte dessa estratégia. Um dos dois voos diários da Air France para São Paulo será feito pelo Boeing 787 Dreamliner, que promete mais conforto aos passageiros. A primeira classe, disponível atualmente em quatro dias da semana, será disponibilizada em cinco dias. “O Brasil é um dos mercados ‘top’ para a Air France”, diz Pouchol.